vinhos para guarda

A guarda do vinho tem um objetivo.

Diferentemente dos vinhos chamados “de entrada”, que são feitos para atender a grande massa de consumidores, os vinhos de média e alta gama têm objetivos mais ambiciosos. Se os primeiros oferecem a simplicidade de “uma nota só”, os demais, através do envelhecimento, nos prometem algo diferente. Mas qual é a “música” que podemos esperar de um vinho de guarda?

Vinhos conversam com o tempo

Para quem não é músico, tocar acordes num piano não é um desafio impossível, mas um concerto inteiro de Beethoven é certamente um feito muito mais complicado! São necessárias incansáveis horas de prática diária, até que se atinja o nível técnico para executar a obra. A complexidade aumenta, assim como o quantidade de elementos envolvidos. Ou seja, é necessário tempo para maturar a habilidade do intérprete.

Assim acontece com bons vinhos depois da guarda. Eles oferecem o prazer da complexidade. São aromas e sabores que se multiplicam fazendo nos perguntar de onde veio tudo isso. A palavra que resume o processo de guarda, ou envelhecimento do vinho, é transformação. O vinho literalmente se transforma. Com o tempo as dezenas de substâncias ali presentes começam a conversar entre si.

Durante essa festa química as cores são alteradas e os taninos e a acidez diminuem. Os álcoois e ácidos em contato com o oxigênio formam ésteres e aldeídos. O vinho evolui, atinge seu auge e está pronto para aguçar nossos sentidos.

O potencial de evolução depende de muitos fatores, e não é uma ciência exata. Mas podemos dizer que o tripé básico seja: água, álcool e compostos fenólicos (tanino).

Essas características são as consequências do histórico de vida daquelas uvas, combinadas com as manipulações intencionais do enólogo. O terroir (clima e solo, em particular) interfere na formação do fruto – alterando componentes como espessura da casca, quantidade de açúcares e grau de maturação – o que se traduz na qualidade da safra. Se chover pouco, por exemplo, pode haver um aumento dos açúcares e compostos fenólicos, fazendo com que se favoreçam as condições para a guarda.

Em síntese, bons vinhos sempre se beneficiarão de uma “janela de maturação”. Poderíamos dizer que eles são o resultado entre as combinações:

terroir-carvalho-vinificação

Terroir – Termo utilizado para definir uma complexa gama de fatores que afetam a biologia da videira, tais como: clima, solo, exposição solar, altitude, condução das vinhas, etc.

Carvalho – A maioria dos vinhos de guarda passa pela maturação em barris de carvalho, que acrescenta aromas e sabores. O carvalho também ajuda a suavizar os taninos pela micro-oxigenação através dos poros da madeira.

Vinificação – De acordo com as características da safra, cabe ao enólogo tomar a decisão sobre os processos que terá a vinificação. Algumas etapas importantes envolvem a realização (ou não) da fermentação malolática, o tempo de maturação em carvalho, e também o tempo que o vinho deverá envelhecer em caves (depois de engarrafado).

A contagem da guarda para os vinhos

Um equívoco que muitos cometem é contar a guarda a partir do ano da safra. O correto é a contagem a partir do momento que o vinho foi disponibilizado para consumo. Isso porque vinhos de safras iguais podem ser engarrafados em anos diferentes devido aos processos de maturação na vinícola.

Em muitos casos, a informação do engarrafamento pode ser encontrada no contra-rótulo, mas caso não tenha, procure a ficha técnica que todo produtor oferece ao colocar o vinho no mercado. Lá, ele projeta um tempo de guarda para sua evolução. A VinumDay disponibiliza uma estimativa de guarda para todos os vinhos anunciados, que pode ser conferida ao clicar em “saiba mais sobre este vinho”, na nossa homepage.

Degustar ou beber vinho

A complexidade que o vinho adquire depois da maturação não servirá de nada se o nosso paladar não estiver treinado. Com a prática, a degustação aflora nossos sentidos e as análises visual, olfativa e gustativa ficam cada vez mais prazerosas.  Com o passar do tempo – e algumas taças – mesmo se você estiver despretensiosamente comemorando com os amigos, seus sentidos estarão atentos a todas as características do vinho. É só brindar. Saúde!

 

Equipe VinumDay • um vinho para cada dia

Aprender sobre vinhos - ebook

Compartilhar ...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

5 comentários em “A guarda do vinho tem um objetivo.

  1. Q matéria fantástica! Mui esclarecedora e rica em detalhes! Muito obrigado por essa preciosa informação que só aumenta a paixão dos enófilos por essa dádiva que é o vinho!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *